Se o brasileiro produz quatro vezes menos que o americano, como processos e tecnologia podem reverter este cenário de produtividade baixa?

A produtividade do brasileiro é reconhecidamente baixa. Pior, está em declínio. Segundo pesquisa realizada pela organização norte-americana The Conference Board, que reúne dados de centenas de países, o nosso rendimento encolheu entre 2014 e 2016 – voltando ao patamar de oito anos antes. Sério!

Essa realidade é um grande desafio p/o nosso futuro, visto que o envelhecimento da população demanda exatamente o contrário. Para reverter essa tendência e equiparar a produtividade nas empresas aos países de primeiro mundo, NÓS (o Brasil) precisamos tomar uma série de providências em diversos setores e contextos, além de apostar no oceano de possibilidades disponíveis no mundo da tecnologia e modelos de gestão de projetos.

Me parece que o pessoal da Toyota tem muito pra nos ensinar.

Olha o tamanho dessa jaca :/

Um brasileiro leva uma hora para realizar o que um alemão faz em 20min e um americano em 15min. Esta constatação é resultado de uma equação que reúne diversos fatores e longe da preguiça ou inépcia de nossos profissionais, considera falhas estruturais, processos, modelos,  lacunas na formação etc.

Claro! A solução de forma geral deve passar por políticas públicas que favoreçam o ambiente de negócios, empreendedorismo, inovação, mudança comportamental e por aí vai. Entretanto, existem diversas questões dentro das empresas que, uma vez resolvidas, podem mudar sua realidade específica.

Organização no trabalho

Vemos com muita frequência organizações passarem por problemas de produtividade que as impedem de fazer mais com menos. Não é raro a falta de processos se tornar um gargalo capaz de levar as empresas no Brasil à falência.

Seria muito bom que os gestores adotassem agenda prioritária sobre uma série de mudanças, buscando a organização no trabalho. É preciso “arrumar a casa”, ou seja: investir em processos organizacionais e de governança empresarial. Somente com os processos devidamente alinhados é possível evitar o escoamento de tempo e recursos, além de ganhar lucidez, clareza, musculatura necessária para qualquer outra mudança futura.

Não tem pra onde correr! A transformação digital e a automação têm potencial para serem as maiores aliadas da produtividade no dia a dia atual das empresas. O novo contexto de mundo oferece ao empresário ou decisor toda artilharia necessária para vencer o jogo, inclusive pelo celular. É possível mensurar todos os resultados em tempo real com acesso remoto de qualquer lugar do mundo.

Falei sobre Toyota, lembra?

As startups estão nadando de braçada porque souberam adaptar-se e adotaram, praticam metodologias como LEAN – modelo também utilizado pela Toyota, onde todos os processos são revistos para que todos os procedimentos e tarefas utilizem somente os recursos necessários na sua execução/realização.

Nós não somos bons em dar “jeitinhos”? Então vamos abusar das boas práticas contributivas e tecnologia para evitar desperdícios de tempo, financeiro, mão-de-obra, stress e muito mais.

Com processos mais leves e bem direcionados, torna-se viável um grande impacto na produtividade brasileira e na geração de valor do negócio como um todo.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *